Monthly Archives: March 2007

Naked Day

“Nu, tudo o que não é belo é obsceno” – Robert Bresson

O dia de ficar pelado online é 5 de abril. Todo ano, inúmeros websites desabilitam os estilos visuais para celebrar o “Naked day”. Um meme (ou beme) legal e “nerdy”, mas que é também uma declaração de orgulho.
De fato, nem todo site pode se dar ao luxo de ficar pelado de vez em quando e sair bem na foto, só aqueles cujo visual e o código são separados e não lançam mão de gambiarras para gerar as páginas finais pra consumo dos visitantes. O resultado é uma página que continua íntegra, ainda que desprovida de seus atributos visuais.
A plataforma usada agora por este site, provida pela WordPress, claro, fica tranqüila quando se despe. No site

Free Download Manager – o campeão é de graça

Atualização: Esse post é velho demais, nele brinquei com essa funcionalidade de customizar o FDM. Agora, retiro o link do download dessa versão personalizada, mas continuo usando e recomendando as versões atualizadas do programa.

Downloads são uma parte principal da rotina online e usar um gerenciador de downloads é fundamental. GetRight e DAP – Download Accelerator Plus são algumas famosas opções comerciais com versões grátis. Mas o Free Download Manager, em minha opinião, é o melhor deles e é de graça.
Um acelerador de download desempenha funções básicas, como dividir o arquivo em vários pedaços, baixando-os simultaneamente economizando assim o seu tempo e reiniciar downloads inacabados. O Free Download Manager além do óbvio tem algumas funções muito interessantes, em destaque aqui:

Screenshot do FDM

– Busca automática de “mirrors” – sites que hospedam arquivos iguais, para que você possa baixar seu arquivos com mais conexões simultâneas.
– Drop Box – Uma caixa em sua área de trabalho para onde você pode “arrastar” um link de download.
– Integração com o navegador Firefox (juntamente com a extensão FlashGot ), que permite baixar todos os arquivos de uma página ou baixar a sua seleção de links.
– Ajuste automático da velocidade de download, para não influir em sua navegação normal, enquanto baixa arquivos.
– Avisos sobre um arquivo perigoso ou duvidoso, de acordo com um bando de dados de avisos da comunidade.

Encurtando a história, baixe a sua cópia do FDM em seu último download não otimizado e veja outras características legais deste programa que além de tudo é de graça, é grátis e não custa nada.

Aliás, no screenshot acima, estou baixando alguns MP3 gratuitos, bacanas e legais.

Clique aqui para baixar o Free Download Manager, em um oferecimento helil.net

Clique aqui para baixar o arquivo adicional em português (após a instalação do FDM, coloque este arquivo na pasta “lang”).

Rayuela – O jogo da amarelinha

“Quem não lê Cortázar está perdido. Não lê-lo é uma séria doença invisível que com o tempo pode ter conseqüências terríveis. Algo como alguém que nunca provou pêssegos. Aos poucos a pessoa se torna mais triste… e, provavelmente, aos pouquinhos, perde o cabelo” – Pablo Neruda

Fato interessante: a pedra do conhecido jogo da amarelinha, título desta novela do argentino Júlio Cortázar (1914-1984), em sua versão argentina é lançada com os pés. “Rayuela” constitui uma narrativa incomum, em que o objetivo não é o desfecho de uma trama (talvez porque a trama, o emaranhado entre fatos e introversões ocorridos seja o verdadeiro protagonista – se houvesse uma trama desvendada, o livro morreria). Mesmo assim, não acho recomendável citar qualquer fato ocorrido com o personagem Oliveira. Nem dizer os locais por onde ele passa. Buscar comentários e resenhas pode ser um grande desmancha-prazeres.

Rayuela - Hopsnotch

Deste livro publicado pela primeira vez em 1963, todavia, há o que se dizer. Logo de início, o leitor se depara com um “quadro de direção”. Nas palavras do autor:
“À sua maneira este livro é muitos livros, mas, sobretudo dois livros.
O primeiro se deixa ler da forma usual e termina no capítulo 56, ao pé do qual há três vistosas estrelinhas que equivalem à palavra Fim. Assim, o leitor prescindirá sem remorsos do que se segue.
O segundo se deixa ler começando pelo capítulo 73 e seguindo a ordem indicada ao pé de cada capítulo. “
Segue a lista da ordem de capítulos proposta: 73 – 1 – 2 – 116 – 3 – 84 – 4 – 71… Esta é uma das múltiplas inserções da imagem do jogo, do emaranhado, na obra. Os capítulos “prescindíveis”, entremeados na narrativa mais ou menos linear constituem complementos à história (para a ordem e para o caos), adições psicológicas de personagens, elucubrações filosóficas, citações e mesmo a proposta de um “fim” totalmente diferente. Por vezes clarificando a narrativa, por vezes ajudando (ou simplesmente modificando) um mise-en-scène na mente do leitor. Em um primeiro momento comecei a ler o livro em sua forma tradicional, mas, à medida que um dos capítulos me impressionava de alguma forma, comecei a entremear aqui e ali os capítulos “de outros lados”. Assim é que cada leitura torna-se única e Rayuela torna-se um livro que transfere ao leitor um novo poder, uma hipertextualidade.
Protagonismo do protagonista, protagonismo do leitor, da trama, do subtexto, do papel impresso, da ordem, do simulacro da ordem e do caos, tudo espelha tudo em uma armadilha, um quebra-cabeças, um jogo virtualmente infinito, caminho de mão dupla entre céu e inferno.
Sucumbindo à tentação de citar algo do livro e evitando tirar do leitor qualquer surpresa, digo algumas palavras soltas: kibutz do desejo, toco a sua boca, pontas de cigarro da varanda, tablado, rocamadour.

Degringolator

Some facts about (not) Brazil

– Brazil is in the same continent as the United States, in the South, though. While USA has 9,6 million km², Brazil has 8,5 million km². There are roughly 300 million North-Americans and 186 million Brazilians. In terms of population and extension, we are both in the largest countries’ side.

For historical reasons, the Spanish colonized portion of America was divided into 20 countries; the Portuguese part remained as one country: Brazil.

– The language spoken in Brazil is Portuguese, not Spanish. There are no major regional differences, nor dialects or other languages spoken here regularly, regardless of the CIA factbook . A good Spanish speaker might get along OK in Brazil (I’ve been told that a Portuguese-speaking person in Spanish-speaking countries doesn’t do so well).

– Brazil’s capital is Brasília, not Rio de Janeiro (was the capital from 1763 to 1960), not Salvador (was the first capital) and not Buenos Aires (actually capital of the neighbor country Argentina).

– With more than 11 million inhabitants, São Paulo is the largest Brazilian city, 4th in the world. Rio de Janeiro (6+ million) and Salvador (2+million) follow. Urban population responds to 81%; a Brazilian person most likely doesn’t live in the jungle, hasn’t seen a monkey or a snake outside a zoo.

– The Amazônia, aka the Amazonian Rain Forest represents more than half of the remaining rain forests of the world. With 5.5 million km², 60% of it is located in Brazil. The Amazonian region is within 9 countries (Brazil, Colombia, Peru, Venezuela, Ecuador, Bolivia, Guyana, Suriname and French Guiana). There’s not a single part of it that belongs to the United Nations or to “the world” or anything else (take a look at this text ). It is no longer regarded as “the lungs of world”, as if it were some sort of oxygen industry, but its value to climate balance and biodiversity is fundamental.

– Besides the Amazônia, Brazil has the Atlantic Rain forest and the Pantanal (world’s largest wetland area) as places of great biodiversity.

– Brazil has a huge coastline: 9000 km. Its tourist talent comes largely from the beaches.

– Brazil is NOT a place for child-prostitution tourism (as no other country is).

– The piranha is a carnivorous fish. They are rather small, compared to sharks (15 to 25 cm long) and doesn’t live in saltwater. There are few documented attacks of piranhas causing the death of humans. And they don’t fly. And they can’t be in good movies.

– Apart from the blue-whale, regarded as the biggest Brazilian animal, our fauna is of small animals. The biggest terrestrial animal is the anta, with 200kg and 2m (a big one). Gorilla, elephant, tiger, lion, giraffe, are examples of elsewhere fauna.

– Sucuri is the Brazilian name for the famed Anaconda, a large snake (3m). They have no poison, although they can bite, and they kill their preys by enrolling them, breaking their bones and asphyxiating them. The Sucuri is not likely to attack humans.

– Brazilian music is very rich and also differentiated from other Latin American countries. Its most known genres are the Samba and the MPB (acronym for Brazilian Popular Music). Rich lyrics are also a standout in Brazilian Music.

Salsa, Rumba, Mambo and Tango are not examples of Brazilian music. The Bossa Nova is a mix of samba beats with intricate jazz-descendant harmonies, performed in an intimist mood. There’s much more about about Brazilian music than elevators’ muzak. Hear a little from Radio USP (Real Audio) .