Tag Archives: Internet

Serviços em Uberlândia

A idéia de “aldeia global” lá vai pros seus 45 anos. Estamos tão longe de realizar essa promessa da tecnologia que dá dó. Muito mais velha é a idéia de “pensar globalmente, agir localmente”.

Estive de mudança, e uma das coisas mais difíceis nestas épocas é encontrar prestadores de serviços dos quais se possa depender. O boca-a-boca é o que vale, entre páginas amarelas vagabundas, link-grabbers que só congestionam o Google e o abismo digital que separa o prestador da Internet. Ainda é perda de tempo procurar profissionais (que não sejam do sexo) pela rede. Sendo assim, entre um punhado que passou pela minha casa, vou dar meus dois vinténs pra dois. Um post recente, que citou uma certa mega empresa, aumentou a visibilidade deste humílimo blog (eu era jovem, foi acidente, vou evitar daqui pra frente). Espero que se indexe o que segue:

Conserto de fogões em Uberlândia

Zé Baixinho – 34 9969 1694

Instalou fogões por aqui, no capricho, sábado de Carnaval.

Recomendo.

Disseste

Uma parte dos aspirantes à glória da Literatura Universal torce o nariz para a idéia do “blog” (indiscutível o mau batismo, a cacofonia de todo blog-vocabulário em português – blogar, blogueiro, blogosfera etc.). Qualquer um que gostaria de ser conhecido como escritor e renega qualquer oportunidade de escrever, é um cabotino.
Eis José Saramago, de quem pode-se até lamentar, mas que é impossível negar a referida glória, escrevendo um blog “na medida”: tomando como referência seu próprio trabalho impresso, seu “Caderno” não existiria se não existissem os blogs e, que bom que eles existem e que o escritor não consegue parar de escrever. Que bom também que ele, em tempos de tão pouco diversas unanimidades, publica tanto textos pra se discordar como outros como esse.

Técnicas de terrorismo na conversação (parte 1, quem sabe?)

A página “Conversational Terrorism” está no ar há um bom tempo e organiza técnicas de argumentação malvadas que podem ser encontradas – ditas e ouvidas – diariamente. Eis a tradução livre de algumas delas:

Variações Ad Hominem (ataques contra o interlocutor)

  • Muita areia pro seu caminhãozinho

“Eu lhe explicaria isso, mas considerando sua formação e inteligência, tenho certeza de que você não entenderia”

  • Até você

“O próximo conceito é tão claro que até você entenderá”

  • Você vai acabar concordando

“Na sua idade eu também pensava assim”
“Quando você amadurecer emocionalmente (ou intelectualmente, ou espiritualmente), vai mudar de idéia (e concordar comigo)”
“Você é novo aqui, não?”

  • Acusação de otimismo (wishful thinking)

Ao invés de combater uma opinião do interlocutor, esta técnica sugere que o processo pelo qual esta opinião foi construída nasceu errado. É não explicar qual o problema de uma idéia, mas porque o dono da opinião está errado.

“Você defende a pena de morte devido a um desejo assassino enraizado comum entre vítimas de traumas emocionais na infância.”
“Você é contrário à pena de morte por causa de um tabu irracional e reprimido da morte, comum entre pessoas vítimas de traumas emocionais na infância.”
“Você bateu muito a cabeça na infância, não é mesmo?