All posts by helil

poema

O adulto aprendeu

que os segundos

são mais extensos

do que um instante

E, não obstante,

se contam nervosos,

como tiques,

nas horas estanques