Monthly Archives: July 2007

King´s X

O King’s X é certamente uma grande incógnita da história do Rock. O trio formado por Doug Pinnick (baixo e vocal), Ty Tabor (guitarra) e Jerry Gaskill (bateria) nunca se tornou um fenômeno mundial, mas sempre fez trabalhos de excelente qualidade e virtuosismo. Muitos afirmam que o King’s X inventou o verdadeiro grunge, mas, independente disso, é uma das bandas que precisa ser conhecida e admirada. Os trabalhos da banda renderam a admiração de nomes como Billy Sheehan, Yngwie Malmsteen, Living Colour, Kip Winger e Anthrax. Originários do Texas, eles compuseram uma das baladas mais bonitas do Rock.

Segue “Big Picture”, do álbum King´s X, de 1992. 

 

Obs. Após Big Picture, o video emenda com a música Goldilox, do álbum Out Of The Silent Planet – 1988. 

Por Flávio Vieira

Trilhas sonoras

Trilhas sonoras têm uma importância bastante grande e às vezes são subestimadas. Algumas nos apresentam à bandas e a cantores que passamos a acompanhar. O filme Romeu + Julieta, de Baz Luhrmann (1996), se desenvolve em cima de músicas de Radiohead, The Cardigans e Garbage. Numa versão brasileira, a trilha de Amores Possíveis, de Sandra Werneck (2001), é recheada de artistas em destaque como, Seu Jorge, Paula Lima, Paulinho Moska além do veterano e venerado Chico Buarque num dueto com Zizi Possi.

Mas e se, em vez de corrermos atrás de algumas músicas que ouvimos na TV ou no cinema, assistíssemos a um programa justamente com esse tema central? Poderíamos, mas não mais. A série americana “Love Monkey” era sobre um caça talentos do mundo musical. Tom Cavanagh descobriu ao longo de 8 episódios (pois a série foi cancelada em 2006), artistas como Teddy Geiger (adolescente de 19 anos que canta músicas românticas com letras sofisticadas, como cita a crítica), Martin Luther (revelação do R&B/soul) e ainda se atualizava em shows de muita gente conhecida, como Aimee Mann.

Bom, para aqueles que certamente continuarão a procurar por novas mostras para seu repertório particular, e sem fugir da convergência TV e música, abaixo está um trecho do filme Magnólia, de 1999, no qual os atores cantam junto com Aimee a música “Wise up” que inclusive foi indicada ao Oscar.

por Juliane Mercki

Guillemots

Há tempos que a referência do rock inglês é o punk dos anos 80, remodelado com alguns cabelos na orelha e alguma presunção. Uma das raras exceções é o trabalho de uma banda chamada Guillemots que lança seu primeiro trabalho no Brasil. Com influências menos óbvias, o quarteto londrino foge de músicas curtas e usa recursos de metais e corais em suas composições. A banda, que tem um brasileiro nas guitarras, ainda faz alguns experimentos sempre bem-vindos ao rock, como usar furadeiras e outros “instrumentos” para rechear a sonoridade de seu disco. O resultado é, no mínimo, curioso!

Ouça e veja “Trains to Brazil”.

Por Flávio Vieira

A MPB se repete como farsa

Alguém que queira apreciar algum aspecto da atividade humana, de uma forma crítica e honesta, deve abster-se de preconceitos e preguiça, estar sempre aberto a novidades, evitar a fé cega nos cânones estabelecidos, buscar sempre a vanguarda.

Besteira! Quando se trata da Música Popular Brasileira atual, eu fechei as portas da percepção. Cansei de tentar encontrar coisas dignas de ouvir entre uma cambada de burgueses de chinelo de couro, do tipo “eu adoro brasileiro pobre, daqui do meu flat em Manhattan”. Vila-madalênicos que herdaram nada além da pose de artista do povo. A MPB tem muitas árvores frondosas beirando o centenário, mas os frutos estão mais para enxertias que deram errado.
Já vai tempo essa tendência, suficiente para essa mesma Brazilian new-muzak só se auto-plagiar. Aguardo ela se esgotar em si mesma, como os burros.

Se é que ele tem um lado B, segue um Chico Buarque pra terminar a desopilada.

Chico Buarque – Flor da idade

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

por helil