Música X Política

Música e política sempre se misturaram. Às vezes com propriedade, às vezes por pura demagogia e com intuito de auto-promoção. Entre outros, Chico Buarque, Tom Zé e mais recentemente MV Bill são exemplos bem claros de músicos que contribuíram – e contribuem – significativamente para a mudança de atitude de um povo. No cenário internacional temos alguns ícones desse gênero musical. A banda irlandesa U2, sem dúvida, sempre foi bastante engajada nessas causas e deu voz a muitos movimentos, principalmente os relacionados aos direitos humanos. Outra banda notadamente engajada politicamente é o Rage Against the Machine (RATM). Só como exemplo, em um show em 1993 (Lollapalooza), a banda inteira subiu ao palco pelada, apenas com fitas tapando a boca para protestar contra um comitê americano (PMRC) formado por quatro velhinhas que gostavam de “ensinar” aos pais que a música tinha se tornado um dos aspectos mais degradantes da sociedade americana.

Segue abaixo, vídeo de um show/protesto do Rage Against the Machine em frente ao Staples Center. Soa como pura provocação.

Por Flávio Vieira